OBESIDADE: A desnutrição do século

Atualizado: 5 de mar.




Hoje a Organização mundial de saúde (OMS) já aponta a obesidade como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo, algo que fugiu ao controle

A maior parte da população do Brasil hoje encontra-se em sobrepeso ou obesidade.

 

Segundo as últimas pesquisas, quase 20% da população brasileira está em obesidade e mais de 50% encontra-se acima do peso.

É uma realidade triste, cruel e verdadeira. Reflexo do mundo industrializado e da correria do dia a dia que nos transmite a falsa impressão de que abrir uma lata é mais fácil, rápido, nutritivo e melhor que comer uma fruta por exemplo.

A indústria alimentícia com todo seu potencial de propaganda e convencimento levou a população durante anos ao consumo dessas comidas, sem estudos sobre o impacto desse tipo de alimentação e incentivados pelo marketing e por muitos governos, essa cultura foi difundida em quase todo o mundo: “quanto mais rápido e fácil, melhor”.


Mas, com os avanços da medicina, novas formas de pesquisa e a disseminação da informação proporcionada pela internet, foi possível notar que o mundo está doente.


Uma doença estranha, um tipo de desnutrição, uma desnutrição invertida.


Antes o desnutrido era o magro, sem barriga, olhos fundos e osso proeminentes.

Hoje temos um outro tipo de desnutrição, que vem acompanhada de gordura corporal em excesso, gordura visceral em excesso e nenhuma qualidade nutricional, ou seja, o indivíduo está com aparência de “fortinho”, porém desnutrido.

Como assim ?

A maior parte desses alimentos rápidos e práticos é composto de ingredientes “vazios”, carboidratos simples, gorduras ruins, aromatizantes artificiais e conservantes, todos sem nenhum valor nutricional. Você come e não “alimenta” seu corpo, maaaas armazena muita coisa em forma de gordura.


Toda essa desordem alimentar, associada ao estresse mental e ao baixo nível de atividade física levam a processos inflamatórios/metabólicos que desencadeiam uma série de cascatas de fatores danosos a nosso organismo.

O acúmulo de gorduras em diversos tecidos e órgãos, causa desequilíbrios em praticamente todos os sistemas, desde o endócrino ao neurológico.

Trazendo diminuição da cognição e memória, produção e secreção hormonal desordenada, metabolismo da glicose alterado, absorção de diversos nutrientes dificultada, ansiedade, dificuldade para dormir, depressão, hipertensão, diabetes entre tantos outros, além da questão estética que infere diretamente na auto-estima, vigor e vibração energética.


Pacientes já em algum grau de obesidade possuem dificuldade extrema para conseguir aderir a um novo estilo de vida, talvez devido a hábitos trazidos de uma vida desregrada, talvez devido a sinalizadores corporais e hormônios que são liberados ao longo de um tempo no processo de excesso de peso e “levam” o seu organismo a realmente querer comer a qualquer custo.

Técnicas como o midfull eating, plano alimentar coeso e bem coordenado, aliado a um acompanhamento hormonal e bioquímico e atividade física supervisionada, são a solução. Com o emagrecimento temos a chance de “devolver” ao corpo sua plena capacidade.

Para resolver isso, só há uma forma: Procure atendimento, busque transformação em todos os níveis da sua vida: corpo, mente e espírito.

Não permaneça na zona de risco da morte. Emagrecimento não é somente beleza, é saúde.


O sobrepeso e a obesidade aumentam significativamente o risco de acidentes cardiovasculares como o Infarto e doenças metabólicas como a Diabetes.

Não perca seu tempo, saia da zona de conforto, inicie uma mudança na sua vida. Mude sua mente e seu corpo, obtenha o máximo de seu organismo e conquiste a verdadeira saúde hoje, amanhã e daqui a muitos anos.




40 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo